sexta-feira, 3 de junho de 2016

Itaporanga recebe cerca de 6,5 milhões para saúde por ano, mas há queixas: vejam as principais

Em quatro anos, de janeiro de 2013 até dezembro deste ano, a Prefeitura de Itaporanga, através do Fundo Municipal de Saúde (FMS), terá recebido mais de R$ 26 milhões do Ministério da Saúde (MS), uma média anual de R$ 6,5 milhões, o que representa R$ 547 mil por mês. Somente nos três primeiros anos da atual gestão municipal, os repasses superaram R$ 19,7 milhões.

As maiores transferências à saúde de Itaporanga são para a Atenção Básica - da qual faz parte o programa Saúde na Família-, e para a Saúde de Média e Alta Complexidade Hospitalar e Ambulatorial (urgência e emergência), onde está inserido o Serviço de Atendimento Móvel às Urgências (Samu). São mais de R$ 3 milhões anuais para cada um desses setores.  Em relação especificamente ao Samu, o FNS libera cerca de R$ 592 mil, anualmente, para a execução dos serviços, que têm ainda uma contrapartida estadual e municipal.

Um bom volume de recursos também é repassado para investimentos em obras e ações voltadas a promover uma vida saudável, a exemplo da prática de exercícios físicos (Academia de Saúde): chega a mais de R$ 202,7 mil por ano. Para a Vigilância em Saúde, os valores ultrapassam a casa dos R$ 146 mil também anualmente. Para a Assistência Farmacêutica, que acoberta a distribuição de medicamentos, os repasses anuais superam R$ 137,7 mil.

Apesar do montante considerável de recursos destinados à saúde local, há muitas reclamações com reação aos serviços: as dificuldades de acesso das pessoas a exames, consultas especializadas, remédios e cirurgias são alguns dos principais problemas reclamados pela população.
 
 Por Isaías Teixeira/Folha do Vali

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por interagir conosco