segunda-feira, 13 de junho de 2016

Delação explosiva. “Menino de Dilma” ganhava uma mesada de 50 mil da Odebrecht


Existe um grupo restrito de amigos de Dilma, revela a Veja. Um integrante dessa turma é Anderson Dornelles, ex-secretário particular da petista, que também será citado por Marcelo Odebrecht em sua delação. “Anderson é tratado como um filho por Dilma. Ele começou a trabalhar com a presidente afastada desde quando era adolescente, no Rio Grande do Sul. Na Presidência, Anderson cuidava das coisas pessoais de Dilma, do telefone à agenda. Fazia companhia a ela em sessões de cinema e jantares no Alvorada”.

“Segundo Marcelo [Odebrecht], o menino de Dilma lhe pediu ajuda em dinheiro. A contribuição foi dada por meio de pagamentos periódicos. O empreiteiro promete lista-los. A Lava Jato já tem o caminho. Está investigando o repasse de 50.000 reais da Odebrecht a Douglas Franzoni Rodrigues, amigo do peito de Anderson que ocupou cargos no Ministério de Minas e Energia, na Casa Civil e na agência reguladora do setor de transportes.”

Durante o governo do PT a Odebrecht multiplicou por seis o seu faturamento, que passou de 17,3 bilhões para 107, 7 bilhões de reais. 

César Weis

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por interagir conosco