domingo, 17 de março de 2013

Aposentado com AVC cai de ambulância no meio da estrada


A história do aposentado Adonias Dantas da Silva, de 66 anos, seria cômica se não fosse trágica. Transportado numa ambulância de Campina para Catolé do Rocha, onde ficaria internado no Hospital Regional, simplesmente Adonias não chegou. Caiu da ambulância no meio do caminho e o motorista só deu pela sua falta quando chegou ao destino. Seu estado, claro, é grave, pois além de queda, coice, melhor dizendo, além da doença que o levou a ser internado no Hospital Universitário de Campina, tem que curar as mutilações provocadas pela queda do carro em altíssimo movimento.

De acordo com o delegado regional de Catolé do Rocha, Sílvio Rabelo, que investiga o caso, o paciente passou alguns dias internado em Campina por causa de um Acidente Vascular Cerebral (AVC), mas tinha recebido alta hospitalar devido a melhora no estado de saúde.

“A ambulância vinha trazendo o paciente para o hospital de Catolé do Rocha e, ao passar por um trecho da rodovia estadual, Adonias Dantas caiu e ninguém percebeu o acidente”, comentou o delegado. O aposentado foi lançado para fora do veículo, caiu na estrada e acabou tendo vários ferimentos graves.
Silvio Rabelo disse que quando a ambulância chegou ao hospital de Catolé do Rocha, parentes esperavam pelo aposentado. Quando os enfermeiros abriram a porta do carro, o homem não estava.
“Foi uma surpresa. Os enfermeiros e motoristas não souberam informar o que teria ocorrido. Familiares se desesperaram e houve uma confusão no hospital. O pessoal que estava na ambulância fez o mesmo percurso e encontrou o aposentado ensanguentado na PB-325 e amparado por populares”, comentou Silvio Rabelo.

Para minimizar sua responsabilidade sobre o ocorrido, o motorista da ambulância teria dito que a gravidade dos ferimentos de Adonias teria sido provocada por um atropelamento após a queda da ambulância. Testemunhas que socorreram o ancião, desmentiram essa versão.

O delegado revelou que o caso está sendo investigado e os ocupantes da ambulância poderão responder por lesão corporal e tentativa de homicídio, caso o idoso sobreviva. Caso o homem venha a óbito, a situação dos responsáveis pelo traslado do paciente ficará ainda mais complicada.

(Folha do Sertão com uma pitadinha do tião)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por interagir conosco