terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Despedida de solteiro


Vamos chamá-lo de Francisco, Francisco Arnaud, pois personagem que se preze tem nome e sobrenome. Figura bonachona, solidária, gosta de homenagear os amigos e, em alguns casos, as mulheres dos amigos.

Naquela tarde, ainda no trabalho, contratou duas suítes presidenciais do Trevo Motel para fazer a despedida de solteiro de um querido colega da repartição. Ao todo, 10 amigos e 12 moças escolhidas a dedo, divididos nas duas suítes, com muito uísque, lagosta e sexo, participariam da festa.

No dia anterior, Francisco vendera um toca fita ao colega que sentava na sala ao lado. Toca fita importado dos Estados Unidos, coisa chique, daqueles que você coloca no carro na hora de usar e tira depois do uso, para evitar roubos.

Mas voltemos ao fim de tarde da anunciada orgia. Chico chegou ao motel, e, como não havia mais vagas nas duas garagens, guardou seu carro no anexo do Trevo. Fechou o veículo e foi caminhando para o endereço da festa, tendo, porém, a curiosidade aguçada para um automóvel estacionado na garagem de um dos apartamentos. Olhou direitinho e viu que era o carro do colega que lhe comprara o toca fita. Aproximou-se, espiou e notou que o sujeito, talvez na pressa para fazer aquilo, esquecera de fechar o carro.

Presepeiro como ele só, resolveu fazer uma gracinha com o amigo. Abriu a porta do carro e retirou o toca fita. Feito isso, partiu pra galera, pra gandaia, ali ficando até o dia seguinte mostrar a cara.

A manhã seguinte gastou tirando a ressaca em casa. De tarde, foi trabalhar, levando o toca fita embrulhado numa sacola para devolver ao colega. Entrou na repartição, nem bem chegou perto do amigo e este, em voz alta, o interpelou:

-Você dá azar. Aquele toca fita que lhe comprei foi roubado ontem do estacionamento do shoping, onde minha mulher se encontrava comprando meu presente de aniversário.

Blog do Tião

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por interagir conosco